/4 perguntas para Antonio Cardoso Bim

4 perguntas para Antonio Cardoso Bim

Antonio Cardoso Bim
CBO | Co-founder
SolucioneRH

1- Como surgiu a ideia da  SolucineRH?

Percebemos durante o nosso trabalho, tanto em empresas tradicionais quanto inovadoras, que existe uma dor muito comum: contratações erradas. As empresas perdem muito tempo, dinheiro e energia recrutando, selecionando, contratando, demitindo e repetindo todo o processo. É muito comum ainda que as empresas contratem pessoas pelo seu perfil técnico e demitam por questões comportamentais. O SolucioneRH veio com o objetivo de ajudar as empresas a selecionar os seus colaboradores considerando também o perfil comportamental, de uma maneira totalmente personalizada, através de um questionário que mede o grau de afinidade de cada candidato com a empresa e com a vaga, especificamente.

Espaço interno da SolucioneRH – Crédito: Divulgação

2- A startup está incubada na Feevale. Quantas empresas já estão atuando com vocês?

Ao todo 60 empresas já passaram pela ferramenta, das quais cerca da metade ainda está usando. Vale lembrar que boa parte delas experimentaram quando ela ainda estava em fase inicial e muitas das funcionalidades das quais ela dispõe atualmente, ainda não existiam.

Equipe no Hub One da Feevale – Crédito: Divulgação

3- Desde a sua fundação quais são os dados mais relevantes?

Temos mais de 10.000 candidatos cadastrados na ferramenta e isso em apenas poucos meses de uso. Todas as empresas cadastradas possuem um banco de talentos qualificado para cada uma das vagas que elas abriram. Empresas grandes como Sport Club Internacional, Bebecê Calçados e Calçados Bibi já passaram por ela e algumas ainda a estão utilizando. Conseguimos reduzir o tempo de triagem de candidatos pela metade, uma vez que são analisados os currículos e entrevistados apenas os candidatos que mais se aproximarem da cultura da empresa ou dos requisitos comportamentais da vaga.

4- Vocês ambicionam o que para os próximos 5 anos?

Em cinco anos queremos centralizar todo o processo de seleção na ferramenta, ou seja, ir muito além do questionário. Queremos incentivar que as empresas deem continuidade ao processo e consigam selecionar apenas as pessoas de maior afinidade com a empresa. Para isso, após o questionário, teremos dentro da ferramenta a construção de testes práticos para que o candidato mostre na prática tudo o que ele respondeu no questionário. Além disso, a ferramenta contará com um processo de onboarding (entrada), no qual ele terá uma imersão dentro da empresa aprendendo a fundo a sua cultura, o que ela faz e o porquê dela fazer as coisas do jeito que faz. Por fim, já temos planos para elaborar novas ferramentas de auxílio aos Recursos Humanos, como avaliações de desempenho e outros.

Essa é a forma que o sistema apresenta os indicadores para os profissionais de Recursos
Humanos fazerem a análise dos candidatos. Crédito: Divulgação