/4 perguntas para Carlos Henrique Schmidt

4 perguntas para Carlos Henrique Schmidt

Carlos Henrique Schmidt nasceu em Porto Alegre onde graduou-se em Engenharia Civil (1978), na Universidade Federal do RS. Possui também uma especialização em Marketing (1988) pela Pontifícia Universidade Católica do RS. Atuou como Engenheiro Civil de 1978 a 1990 em obras de infraestrutura e na construção e reformas de hotéis na Região Sul do Brasil. Atuou como consultor de 1990 a 1995 para projetos, estudos de viabilidade e construção de hotéis e empreendimentos turísticos no Brasil e Argentina

Neto e filho de Hoteleiros, assumiu em 2005 como Diretor Superintendente da Rede Plaza de Hotéis, função que ocupa hoje. Foi presidente da ABIH-RS de 2000 a 2002, diretor da região sul da ABIH Nacional, vice-presidente do Porto Alegre Visitors e Convention Bureau e atualmente é presidente do Sindicato de Hotéis de Porto Alegre.

1- Qual o caminho que a hotelaria deve seguir agora durante a crise?

Dizer que uma empresa deve estar preparada para crises parece mais uma frase clichê do que realmente acontece e/ou é possível para o empresariado brasileiro. Já não bastasse todas as reinvindicações da hotelaria em relação a taxas tributárias e a tantas outras importantes necessidades que nos dariam maior fôlego de ações, a crise do coronavírus mostrou que era preciso estar preparado, com tecnologia e pessoas capazes de enfrentar tantos cenários diversos, tensões que desestruturam e que precisaram ser atendidas. Importante lembrar que, a pouco tempo atrás haviam muitos que “achavam” que em 2021 entraríamos à pleno, com eventos de volta e a circulação de passageiros e turistas pelo mundo. Tivemos que alterar, mais uma vez nossas rotas, mudar nossas estruturas internas para avançarmos e replanejarmos nossas ações. Portanto, por óbvio, temos que seguir olhando nossas relações com clientes – cuidando deles e dando todas as informações necessárias para que sintam-se seguros conosco, nossas equipes – igualmente, fornecedores e parceiros estratégicos e claro, seguindo com as possibilidades de ofertar a hospitalidade que nos trouxe até esses 62 anos de atividade.

2- E pós crise como o turismo vai reagir?

Deverias fazer essa pergunta para algum guru, todos nós queremos saber! Mas, precisamos e desejamos que o tempo que manteve tantas pessoas em casa, possa trazer muita força ao turismo. Nossa natureza é de interação, convívio, troca. A Hotelaria é um serviço voltado a experiência humanizada (claro que a tecnologia já está substituindo muitas atividades), mas, sabemos que são as pessoas que transformam nossa infraestrutura e entregam os serviços de forma a acolher e proporcionar as melhores experiências. Vamos ser otimistas, vamos acreditar que aprendemos com este tempo de cuidados extremos e vamos poder voltar a viver mais livres.

3 – Ao seu ver o turista, seja ele de lazer ou corporativo voltará como? Com mais vigor?

Será uma lenta recuperação, a não ser que a economia se recupere muito fortemente. Lazer, acreditamos que possa ter mais vigor, já o corporativo, em razão de um novo modo de viver e de entendimento de relações, seguirá com eventos híbridos e com menor número de executivos em viagens. Hoje sabemos que o home office e os encontros virtuais, para as empresas, tornaram-se um caminho mais econômico até, porém, perde-se nas questões de relacionamento, cultura organizacional, network, possibilidade de novas parcerias, negócios etc… A vida acontece de forma mais efetiva quando “face to face” – no encontro, aperto de mãos… As “lives” nos unem mas não nos relacionam de forma afetiva.

4- A Rede Plaza de Hotéis tem previsão para novos empreendimentos?

Além do Plaza São Rafael Hotel (RS), do Plaza Caldas da Imperatriz, Resort & SPA e do Plaza Blumenau Hotel (ambos em SC), do Plaza Barra First (RJ) e do Bahia Plaza Hotel (BA), sim, teremos novos empreendimentos em andamento através de parceiros investidores e assumiremos na forma de administração. Iremos chegar na Serra gaúcha com excelentes oportunidades para eventos e para lazer e em outros Estados do país também. Além disso, seguimos com a possibilidade de parcerias com a utilização de nossa marca.