/A importância de um destino seguro

A importância de um destino seguro

A Região das Hortênsias, segundo dados da Secretaria de Turismo de Gramado, recebe cerca de 6 milhões de visitantes, por ano (antes da pandemia), sendo o auge desses deslocamentos os meses de abril, julho, agosto, novembro e dezembro.

Visitantes de todo o Brasil e também do exterior, vêm se encantar com as belezas naturais e com os eventos de Páscoa, de inverno e de Natal, entre outros. Aliás, a região se esforça para trazer eventos, congressos e feiras praticamente no decorrer do ano inteiro. Dessa maneira, as pessoas fortalecem o turismo, importante para economia e desenvolvimento social do Estado. Assim sendo, o turista busca, de modo geral, locais com belas paisagens, programações amplas para a família, gastronomia variada, bons hotéis, serviços públicos (saúde, vídeo-monitoramento, transporte, limpeza), etc.

Além disso, a segurança é indissociável nos dias atuais, na busca dos roteiros, bastando ver os indicativos de revistas especializadas que apontam Gramado como um dos roteiros mais seguros do Brasil (site TripAdvisor). Nesta linha cabe frisar que muitos fatores sociais tornam um local seguro para se visitar, sendo o trabalho das forças de segurança importantíssimo para também contribuir com um destino seguro.

A sensação de segurança se traduz pela tranquilidade com que a pessoa faz suas atividades de forma normal e, no caso do turismo, se dá por inúmeros fatores que elevam a qualidade de vida de uma região e como dissemos a segurança pública tem papel fundamental para esta atividade.
Os serviços das polícias precisam ser incrementados e conectados com a necessidade dos turistas e da população local. Nota-se na região que as forças de segurança, naquilo que é possível, buscam aperfeiçoar processos para melhorar a prestação de serviço. Verifica-se que não se pode descuidar na constante avaliação dos processos e estratégias sobre o tema, visto que muitas cidades perdem espaço neste quesito por aumento descontrolado da criminalidade.

No que tange à contribuição da Brigada Militar para um ambiente seguro, o qual me cabe falar, ressalto a parceria com as prefeituras, Polícia Civil, Ministério Público, Judiciário, CONSEPRO e MOCOVI (estes dois últimos essenciais para conectar os anseios da comunidade com as necessidades dos órgãos de segurança). Aliás, um dos pilares do destino seguro, em nossa visão, é a integração em prol da sociedade. No aspecto da contribuição da Brigada Militar a um destino seguro destacamos que para o policiamento ostensivo é importante, nestes dias, a presença do policial militar, tanto para atender o telefone 190, com tempo resposta adequada, bem como estar presente com o policiamento comunitário. Nesta linha temos estratégias da Instituição e do Batalhão Turístico, dentro do programa RS seguro para atender as pessoas, onde podemos destacar:

  1. o programa Avante, onde os recursos humanos e materiais são usados conforme índices de ocorrência;
  2. as ordens de operações recentemente criadas pelo Comando Geral da Corporação destinadas a suprir o efetivo necessário para operações das férias de inverno e eventos de Natal;
  3. uso da tecnologia do sistema Mobile onde as ocorrências são lavradas pelos policiais através de celulares no momento do atendimento;
  4. policiamento ostensivo em pontos de referência turística nas altas temporadas;
  5. uso da Base Móvel Comunitária em pontos de referência previamente analisados e definidos;
  6. ação nas escolas com o Programa Proerd (para atender crianças e adolescentes);
  7. efetivação da Patrulha Maria da Penha, para evitar crimes contra mulheres e crianças vítimas de violência domésticas e familiar;
  8. ações de inteligência para potencializar as ações de preservação da ordem pública;
  9. estabelecimento de redes de WhatsApp (54-996330740) para receber ocorrências, denúncias e sugestões e a participação efetiva de oficiais e praças em reuniões comunitárias, além do atendimento diuturno das demandas do telefone 190;
  10. fortalecimento das condições do efetivo especializado (Força Tática), com escopo de executar a repressão criminal qualificada.

Por fim, sabemos que precisamos melhorar os processos e incrementar tecnologias em prol da diminuição de índices de ocorrências e, principalmente, da tranquilidade das pessoas, não obstante estarmos sempre vigilantes e dispostos a fazer nosso trabalho para auxiliar que o destino seguro continue se consubstanciando como item que incremente o turismo.

Major André Lima da Silva
Comandante do 1º BPAT