/Bandeira preta em Gramado: veja o que é ou não permitido com o novo decreto

Bandeira preta em Gramado: veja o que é ou não permitido com o novo decreto

Na manhã de hoje Gramado publicou um novo decreto onde esclarece as determinações de abertura e fechamento de atividades, durante a vigência de bandeira preta. É importante destacar que mesmo sob cogestão, as regras são adaptadas à bandeira preta e não totalmente à bandeira inferior (neste caso, a bandeira vermelha).

A adoção da cogestão tem como objetivo preservar o funcionamento da economia do município em um nível mínimo que não comprometa empregos e receita da população mas, ao mesmo tempo, restringindo atividades para preservação da saúde dos munícipes.

Apesar da cogestão, todo o Estado do Rio Grande do Sul, deve seguir a determinação de paralisação de atividades das 20h às 05h, diariamente até 1° de Março, exceto serviços de saúde.

Confira as regras de funcionamento:

Alimentação

  • Restaurantes que servem à la carte, prato feito e bufê sem autosserviço, além de lanchonetes, lancherias e bares: podem atender com 50% dos trabalhadores e 25% da lotação. Em beira de estradas, é permitido até 50% de lotação.
  • Grupos de no máximo 6 pessoas por mesa e distanciamento de 2 metros entre as mesas.
  • Proibida a permanência em pé.
  • Exige monitoramento de temperatura.
  • Telentrega, Drive-thru, Pegue e Leve estão permitidos.
  • Fechamento às 20h.
  • Restaurantes de autosserviço (self-service): não podem abrir

Comércio

  • Essencial ou não essencial, tanto de rua como em shopping e centros comerciais: pode ter lotação (considerando trabalhadores e clientes), de uma pessoa com máscara para cada 6 metros quadrados de área útil, respeitando o limite de circulação do PPCI.

Rede hoteleira

  • Estabelecimentos sem o Selo de Turismo Responsável: 40% de lotação
  • Estabelecimentos com o Selo de Turismo Responsável: 60% de lotação
  • Estabelecimentos com até 10 habitações/unidades isoladas (chalés, apartamentos isolados e similares, com banheiros exclusivos e refeições independentes ou agendadas): 60% de lotação
  • Hotéis e similares em beiras de estrada: 75% dos quartos
  • Áreas comuns devem ser fechadas e controle de temperatura exigido.

Bancos e lotéricas

  • Podem funcionar com 50% dos trabalhadores com atendimento presencial restrito e teleatendimento.

Transporte público

  • Podem funcionar com 50% da capacidade total do veículo.

Cabeleireiro e barbeiro

  • Pode abrir com 25% dos trabalhadores. Atendimento individualizado, por ambiente e distanciamento de 4 metros entre clientes.

Missas e Serviços Religiosos

  • Permitido com no máximo 30 pessoas ou 20% do público.

Escolas

  • Atividades presenciais foram liberadas para regiões em bandeira preta na educação infantil, no 1º e no 2º anos do Ensino Fundamental. Demais séries terão somente a aula remota. Definição do governo estadual.

Indústria

  • Pode atuar com 75% dos trabalhadores, exceto farmoquímicos e farmacêuticos, borracha e plástico, que podem trabalhar com 100% dos funcionários. Não são afetadas pela restrição de atividades das 20h às 5h.

Parques e praças

  • Fica proibida a permanência nos espaços, sendo autorizada apenas a circulação e realização de exercícios físicos, como corridas e caminhadas, com distanciamento interpessoal mínimo de 1 metro e uso obrigatório e correto de máscara, cobrindo boca e nariz. Fica proibido o uso das academias ao ar livre e dos parques infantis.

Academias

  • Podem funcionar com 25% dos trabalhadores e 25% da lotação, com distanciamento, sem contato físico e uso de material individual. A ocupação deve ser de uma pessoa para cada 16 metros quadrados de área útil. Esportes coletivos são exclusivos para atletas profissionais, sem público. Piscinas abertas, inclusive as de clubes, somente para atividades físicas como natação, hidroginástica e fisioterapia.

Condomínios

  • Áreas comuns, como salão de festas, devem ficar fechadas. Academias com atendimento individualizado ou coabitante, sob agendamento, com ventilação cruzada e higienização constante.

Veterinária

  • Assistência veterinária com 50% dos trabalhadores. Atendimento presencial restrito e teleatendimento.
  • Pet shops com 25% de trabalhadores. Teleatendimento, atendimento individual, sob agendamento tipo pegue e leve.