/Chocofest vira polêmica e Marta Rossi desabafa no Facebook

Chocofest vira polêmica e Marta Rossi desabafa no Facebook

Foto: Divulgação

A empresária Marta Rossi (foto), que dispensa apresentações no meio turístico, desabafou em sua página no Facebook sobe o Chocofest. Ela escreveu o seguinte: “Não está sendo fácil produzir o CHOCOFEST e o GRAMADO ALELUIA neste ano, com tantas limitações e obstáculos que o PODER PÚBLICO E A GRAMADOTUR estão nos impondo. Estamos sendo tratados como um incomodo para a cidade e não um evento que faz girar a economia local e regional, cujo aumento de arrecadação gerado pelo fluxo de pessoa, resulta em tributos para a Prefeitura.
Mas nossa equipe sempre unida e competente, vai superando os obstáculos e vai apresentar a mais linda de todas as Páscoas. Bem, depois…. Fica como tema de casa, estudar as muitas propostas que temos.”.

Em um dia, a sua página contou com 143 curtidas, 35 compartilhamentos e 47 comentários, todos é claro de solidariedade (veja aqui o post original)

Uma das questões que está na ponta deste iceberg é de que a Lei nº 3189 de 19 de dezembro de 2013, insere o Chocofest como parte do calendário oficial do município de Gramado. Já a outra lei de número 3.219 de 27 de janeiro de 2014, diz que: “município não patrocinará iniciativas de pessoas jurídicas que explorem atividade empresarial ligada à organização ou a realização de eventos, promoções atividades publicitárias, editoriais ou similares, cuja finalidade seja a obtenção de lucro”. Com isto a empresa Marta Rossi & Silvia Zorzanello fica impossibilitada de receber verba da Prefeitura de Gramado, o que afeta o desenvolvimento do evento. As leis foram aprovadas pelo Legislativo gramadense e sancionadas pelo Prefeito Municipal de Gramado Nestor Tissot. Além deste parágrafo a lei dispõe que considera patrocínio toda a transferência gratuita, em caráter definitivo, ao requerente, de recurso para a realização do evento, e considera como forma de patrocínio o repasse financeiro de valores, a concessão de uso de bens móveis e imóveis, a contratação de prestação de serviço para o evento, a aquisição e distribuição de bens móveis para o evento. 

(Foto: Cleiton Thiele)

Diante disto está feita a polêmica. Segundo Marta Rossi o Chocofest deste ano contou com uma movimentação econômica gerada pelo evento em empregos diretos, na casa de 600 pessoas trabalhando na montagem, no elenco das atrações, na segurança, na limpeza e em toda a estrutura do evento. Indiretamente, o público que visita Gramado através do Chocofest, que em 2013 ultrapassou 350 mil pessoas, faz com que as fábricas de chocolate aumentarem em 40% sua produção. Neste ano, a expectativa é que sejam produzidos mais 1,2 toneladas de chocolates na região para aguardar estes visitantes.

A Secretaria da Fazenda Sônia Molon apontou que o Gramado Aleluia receberá o aporte de R$ 180 mil, e que está sendo liberado pela Gramadotur, já o presidente da autarquia João Pedro Till, apontou que além deste patrocínio também entrará todo apoio em relação a logística e que todas as tratativas acordas anteriormente estão sendo e serão cumpridas”.