/Chuva e estrada interrompida causam prejuízo ao setor turístico

Chuva e estrada interrompida causam prejuízo ao setor turístico

A chuva intermitente que cai no Rio Grande do Sul, afeta o estado de um modo em geral, e o setor do turismo não passa ileso. A rodovia RS 115, está interrompida e segundo a EGR – Empresa Gaúcha de Rodovias, não tem data para ser resolvido.  Em reposta a diretora e estilista da empresa DI Cristalli, Vera Roloff, o engenheiro Milton Cypel disse, “A rodovia ERS115 está bloqueada por não haver a mínima segurança viária, face aos acidentes geológicos ocorridos e a grande intensidade de chuvas na região. A drenagem não foi suficiente e este tipo de escorregamento em meia encosta onde são construídas as rodovias são frequentes. Na condição de diretor técnico da EGR informo que foi contratada de forma emergencial a empresa para realizar estudos topográficos (conclusos), sondagens para projeto de recuperação do corpo estradal (conclusos) e estamos aguardando opções de engenharia que atendam rapizes, custo e segurança, para também, de forma emergencial, escolher entre cinco empresas habilitadas, aquela que irá executar as obras, tudo dentro da lei que temos que atender (8666/93), por estarmos vinculados ao setor público. Os danos são na altura dos km 27 e 29 e, infelizmente, não são obras para realizar em poucos dias”, concluiu.

Perigo 

Vera Roloff, que usa a rodovia todos os dias para ir até o trabalho,  aponta que as dificuldades não está só na questão dos prejuízos, vão além, pois o problema maior são os desvios muito apertados e perigosos. “Eu até sugeri, que se fizesse mão única, o risco é grande quando os carros se cruzam, a possibilidade de acidentes é enorme. Para ir ao trabalho não faço um trajeto único, procuro as estradas vicinais, a cada dia, mas estas vias alternativas estão bem complicadas”. Vera apontou que ontem a Prefeitura de Gramado colocou brita na estrada que vai para o Carahá.

Apelo às autoridades 

O Presidente do SindTur, Fernando Boscardin, que esteve reunido com os prefeitos e vice-prefeitos da região, recebendo o secretário de Transportes do RS, Pedro Westphalen, levou  as reivindicações do Trade Turístico para que o conserto e as soluções da RS 115 sejam breves. Veja abaixo correspondência entregue ao secretário manifestando a preocupação da entidade com a possibilidade de demora no conserto da RS-115, tendo em vista o início do Natal Luz no final do mês.

Foto: Divulgação

“Caros senhores:

Viemos por meio desta solicitar o máximo de empenho para permitir o fluxo de veículos na ERS 115, no trecho entre Três Coroas e Gramado. Reforçamos que este problema afeta diretamente a economia da região, no momento em que se aproximam dois dos maiores eventos turísticos do país, que atrairão mais de dois milhões de pessoas para o Natal Luz e o Sonho de Natal.

Alertamos que a demora na resolução do conserto da via poderá acarretar milhões de reais em prejuízos ao setor turístico da região, visto que muitos clientes podem deixar de viajar ou mesmo cancelar as reservas já efetuadas, obrigando hotéis à devolução de valores consideráveis, com um desencaixe financeiro fora de qualquer planejamento econômico. 
Além dos prejuízos financeiros, milhares de empregos podem ser afetados visto que a crise econômica, associada ao eventual fraco desempenho comercial, no que historicamente deve ser o melhor momento do ano para o setor, tornará inevitável um quadro com demissões.

Diante disso, urge uma medida paliativa extrema, quem sabe com apoio do Exército Brasileiro, que com sua engenharia pode encontrar uma solução temporária, permitindo que o conserto definitivo seja realizado em um período de menor fluxo. Além disso, sugerimos a criação de um plano de informações turísticas que permita ao viajante conhecer as novas rotas, se for o caso, e de segurança de trânsito (qualidade da pista e sinalização, inclusive) porque o trecho entre Nova Petrópolis e Gramado receberá, caso não ache solução rápida, um fluxo muito acima de sua capacidade normal.
Certos de sua atenção, sensibilidade e esforço,

Dr. Fernando Boscardin

Presidente Sindtur/Serra Gaúcha

Sindicato dos Hotéis, Bares, Restaurantes, Agências, Parques e Museus de Gramado, Canela, São Francisco de Paula e Nova Petrópolis”

Foto: Divulgação

 

Prejuízos

O setor hoteleiro que tem aproximadamente 18 mil leitos nas cidades de Gramado, Canela, Nova Petrópolis e São Francisco de Paula, já sente prejuízo na ocupação, para Fernando Boscardin, presidente do SindTur, por enquanto o efeito é tímido, mas  já existem cancelamentos de reservas, porém a demora no conserto destas vias, é extremamente preocupante, uma vez que dependendo do horário leva-se de 4 a 5 horas para percorrer o trecho, Porto Alegre/ Gramado.“.

Ônibus 

Os que dependem dos ônibus para circular  a situação é bem mais complexa, alem disto tem que ter bastante paciência, pois os ônibus que entram em Taquara, não estão passando por lá ficando a cargo de cada rodoviária resolver a questão, já os que vão para Porto Alegre, através da Citral, circulam no mesmo horário, e o trajeto está sendo feito via Nova Petrópolis, levando até 3 horas de viagem.

Estrada do Moreira está interditada durante a quinta e sexta-feira

A Prefeitura Municipal de Gramado, através da Secretaria de Agricultura, está realizando o alargamento da estrada do Moreira, para melhor mobilidade dos veículos, principalmente em função da intensificação do trânsito após o bloqueio da RS 115, em direção às cidades do Vale do Paranhana e a Porto Alegre.  A estrada permanece interditada na quinta-feira (23), no trecho a partir do Instituto Santíssima Trindade até a Várzea Grande. Portanto, os veículos devem seguir pelo Carahá ou Serra Grande.

Turistas reclamam 

Turistas também reclamam que é praticamente inexistente a sinalização. Segundo o empresário Ditmar Belmanan, da Pousada Blumenberg, houve hospedes que vieram para Canela e viajaram até o pedágio e tiveram que voltar, pois não havia sinalização, causando um grande transtorno e aborrecimento, tudo que um turista não quer.

Foto: Natal Luz/ Divulgação

 

Natal Luz

Há exatos sete dias para o Natal Luz, já  foram registrados devoluções de ingressos do Natal Luz, obrigando a organização a ressarcir o valor aos visitantes, sem contar que as chuvas atrapalham  na montagem da infra-estrutura, as equipes de trabalho correm contra o tempo, literalmente.

Nota da redação

Pelo período que acompanhava o trabalho da Brita Rodovias, eu sei que há muitos anos a empresa entregou ao Estado, ao DAER, à AGERS, ao MP  e à EGR,  eestudos de todos os pontos vulneráveis da Rodovia RS 115,  incluindo esse trecho  (km 27), porém, o Estado, pela precariedade financeira, só age quando ocorre a tragédia”.  Ou seja, a casa tem que cair para tomar atitude.  Bom, agora nos resta torcer para que o tempo firme, e que os Governos tanto estadual, quando municipal  encontre uma solução.  O Governo estadual para resolver  de fato a RS 11,  já a Prefeitura de Gramado encontrara um solução para que os desvios fiquem transitável. Uma situação bem complexa, uma vez que São Pedro resolveu cobrar os mal tratos com a natureza.