/Garibaldi volta a ser cenário das gravações de “O filme da minha vida”

Garibaldi volta a ser cenário das gravações de “O filme da minha vida”

Nos últimos dias Garibaldi voltou a ser set de filmagem da produção “O Filme da Minha Vida” Com gravações no Centro Histórico no domingo, 10, e na Estação Ferroviária nos dias 11 e 12, o município ganha destaque por receber cenas das duas cidades fictícias do longa, Remanso e Frontera.

Com duração de 12h, as gravações começam cedo, em torno das 6h e seguem até o fim do dia. Nesta semana, as filmagens contaram com dezenas de figurantes de Garibaldi e região.

Para caracterizar a década de 60, na qual o filme se passa, foram usados diversos carros antigos e uma lambreta, durante as filmagens de domingo nas ruas Buarque de Macedo, Júlio de Castilhos e Dr. Carlos Barbosa.

Enquanto o Centro Histórico serviu de fundo para a cidade fictícia de Frontera, a Estação Ferroviária de Garibaldi virou Remanso. Nem mesmo a chuva que insistiu em cair, nem o vento prejudicaram a produção. Hoje, já com sol, as gravações seguiram.

O próximo set de filmagem será a Escola Santo Antônio. As gravações seguem até domingo em Garibaldi. A previsão é de que a produção, que envolve cerca de 150 pessoas, deixe a Serra Gaúcha depois do dia 29 de maio.

No elenco do filme, além de Selton Mello, estão nomes como o do protagonista Johnny Massaro, Bruna Linzmeyer,  Vincent Cassel, que gravou no Araripe, e Rolando Boldrin.  “O Filme da Minha Vida” é uma coprodução com a MGM International por meio da Lei do Audiosivual/Ancine, tem o patrocínio da Brasil Kirin por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura do Rio de Janeiro e conta com investimentos do Fundo Setorial do Audiovisual/Ancine por meio do BRDE e da Rio Filme.  A Prefeitura de Garibaldi e a a Garibaldi Film Commission são parceiras da produção.

Sobre o filme

A produção é inspirada no livro “Um Pai de Cinema”, do escritor chileno Antonio Skármet, também autor da consagrada obra “O Carteiro e o Poeta”. A adaptação para o roteiro foi realizada por Selton, que também atuará na produção, e por Marcelo Vindicatto. Ambientado no sul do Brasil, na década de 1960, a história é sobre a reestruturação de uma família e o rito de passagem da juventude para a maturidade.