/Gramado ganhará parque que homenageia a cultura alemã

Gramado ganhará parque que homenageia a cultura alemã

image

A partir de novembro, Gramado passará a contar com uma nova atração turística: o parque Alemanha Encantada, que está sendo construído junto ao Lago Negro. O objetivo do parque é resgatar a cultura alemã, um dos três pilares da construção de Gramado, além dos imigrantes italianos e portugueses.

A principal atração do Alemanha Encantada será uma torre de 19,5 metros de altura, com capacidade para receber 35 pessoas simultaneamente, onde o visitante desfrutará de uma vista inigualável do Lago Negro, um dos principais cartões postais da cidade. Dali, será possível observar a copa das araucárias e dos pinheiros alemães, plantados por Leopoldo Rosenfeld nos anos 40. Batizada de Torre da Princesa, o local será uma homenagem a Rapunzel e suas tranças, um dos personagens das histórias dos Irmãos Grimm. No alto da torre haverá uma estátua de Rapunzel, para que os visitantes possam tirar fotos com a princesa que durante anos foi prisioneira do mundo, por uma bruxa malvada.

A ligação com as histórias dos Irmãos Grimm terão continuidade na segunda etapa do parque, prevista para ser concluída em 2014, quando será implantado o Reino das Fábulas. Serão construídas nove casas com outros personagens famosos, entre os quais o Gato de Botas, Cinderela, Chapeuzinho Vermelho e a Branca de Neve. “Será um lugar mais lúdico, com estátuas e cenários voltados para o público infantil”, comenta Ítalo Roldo, um dos empreendedores do Alemanha Encantada.

No parque também funcionará um Bier Garten com cardápios que fazem uma releitura de pratos típicos da Alemanha. Próximo dali, surgirá o Blumen Kaffee, que servirá o autêntico waffel e uma versão do tradicional apfelstrudel. Ao lado, haverá uma loja de souvenires típicos alemães, como relógios cucos e porcelanas pintadas a mão.
A Alemanha Encantada também contará com um coreto, onde nos finais de semana deverão ocorrer mostras, espetáculos de danças e apresentações de grupos folclóricos.

Crédito: Rafael Cavalli