/Gramadotur investiu R$ 106 milhões no turismo

Gramadotur investiu R$ 106 milhões no turismo

Em apenas quatro anos de existência, a autarquia municipal de turismo Gramadotur investiu R$ 106 milhões no turismo do município, além de ter comercializado 1,2 milhão de ingressos e ter captado R$ 39 milhões em patrocínios. Estes foram alguns números divulgados na segunda-feira, 9 pelo Conselho de Administração da autarquia, durante encontro com a imprensa regional. Prestigiaram o encontro, além da imprensa, dirigentes de entidades, vereadores, D Secretário de Turismo, Edson Néspolo e o Prefeito de Gramado, João Alfredo Bertolucci, o Fedoca. (Foto: Gerson Sorgetz/ Divulgação)

Durante o encontro, o presidente do Conselho, Alexandre Gehlen relembrou o início da Gramadotur que, de acordo com a Lei. 3066, de 18 de dezembro de 2012, tinha a missão de “planejar e executar atividades vinculadas, direta ou indiretamente, ao turismo e à cultura”. Gehlen lembrou a bem sucedida trajetória da autarquia, que tem três representantes do setor público e seis representantes da sociedade civil organizada em seu conselho, um modelo inédito no país, onde o setor privado de Gramado tem protagonismo nas tomadas de decisão. Frisou, ainda, a transparência da Gramadotur, que é fiscalizada pelo Tribunal de Contas do Estado e pela Câmara de Vereadores, e que tem como uma das vantagens de seu modelo a não incidência de tributos. E disse também: “Gramado precisa de pessoas loucas que façam a cidade prosperar”.
Os conselheiros da Gramadotur lembraram, ainda, que somente em 2016 foram investidos R$ 26,6 milhões em cinco eventos, mas fizeram questão de destacar os avanços ocorridos em infraestrutura e na área social. Em quatro anos, a autarquia investiu R$ 4 milhões em obras de infraestrutura, especialmente no ExpoGramado, Lago Joaquina Rita e Bier e nos equipamentos para a Festa da Colônia. R$ 3 milhões foram destinados para o Programa de Artes, Orquestra Sinfônica de Gramado e Educavídeo, além de doações de equipamentos, materiais e munições para órgãos de segurança. Além disso, foram destinados mais de R$ 300 mil para o Convention Bureau e 92 mil quilos de alimentos para famílias carentes.

Estrutura enxuta
Alexandre Gehlen e os demais conselheiros também destacaram que a Gramadotur possui uma estrutura enxuta. Com apenas 19 funcionários, a folha de pagamento representa apenas 7%, do orçamento, com um total de 146 processos licitatórios em 2016. Gehlen lembrou, ainda, que desde 2013 – com a criação da Gramadotur, a Prefeitura não precisa aportar um centavo nos eventos do município (antes, o município colocava um mínimo de R$ 2 milhões por ano nos eventos) e que a arrecadação tributária vem aumentando ano a ano, boa parte em função do sucesso dos grandes eventos.

Foto: Gerson Sorgetz/ Divulgação

 

Natal Luz
Os conselheiros e a diretoria executiva da Gramadotur preferiram não divulgar números sobre a última edição do Natal Luz, mas garantiram que o resultado será o maior em quatro anos. “O Conselho determinou limites de gastos de modo a equilibrar o orçamento e permitir a manutenção da autarquia em 2017”, comentou Alexandre Gehlen. “O orçamento teve uma redução de 31% em 2016, pois sabemos que 2017 será um ano bastante difícil, especialmente na captação de patrocínios incentivados”, complementou Gehlen.
Embora sem falar em números financeiros, a diretoria da Gramadotur adiantou que o Natal Luz já apresenta a maior ocupação média dos espetáculos desde 2013, chegando a 78%. Ressaltou, ainda, que 2016 marcou a maior captação de patrocínios (marketing e incentivados) da história do evento, e a maior venda de ingressos para agências e grupos, com acréscimo de 14,5% em relação a 2015.

Planejamento
Alexandre Gehlen revelou que a Gramadotur funciona dentro de parâmetros privados em sua gestão, e que possui um plano estratégico de longo prazo. Para 2017, a autarquia possui um planejamento detalhado para a montagem dos cinco grandes eventos, e pretende revisar os modelos de captação de patrocínios, levando em consideração as novas premissas das leis de incentivo cultural, no caso a LIC (estadual) e a Rouanet (federal).
A Gramadotur pretende, ainda, remodelar o seu organograma e os seus modelos de gestão em 2017, melhorar os processos de licitação e compras, além de ampliar os investimentos nos eventos por conta dos bons resultados do Natal Luz.