/Lummertz destaca vantagens da valorização cambial para o turismo brasileiro

Lummertz destaca vantagens da valorização cambial para o turismo brasileiro

Ao falar na tarde desta terça-feira, 06 aos integrantes do CNT, o presidente da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), Vinicius Lummertz,  ressaltou a importância do setor turístico saber aproveitar o momento de impacto com a valorização do câmbio e criar oportunidades para os que estrangeiros visitem e invistam no País.

“Precisamos construir uma economia verdadeiramente sustentável e captar recursos para o Brasil”, explicou o presidente da Embratur. “Para ter benefícios com câmbio baixo é preciso desburocratizar o acesso a investimentos. Divulgarmos nossos centros históricos, parques temáticos, cruzeiros, hotéis e outros. Todos os setores vão frutificar com investimentos externos”, afirmou ele.

Junto com o ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves, Lummertz, participou da 46ª reunião do Conselho Nacional do Turismo, que aconteceu no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília (DF).

Ao abrir a reunião, o ministro também falou sobre o mesmo tema. “Nesse momento, quando a alta do dólar favorece viagens pelo país de brasileiros e estrangeiros, temos que investir em comunicação. Queremos fazer com que a Olimpíada de 2016 não seja só da cidade do Rio, mas que o turista possa interagir com o Brasil todo”, sustentou.

O ministro também comemorou a aprovação unânime pela Câmara dos Deputados do projeto que dispensa de visto estrangeiros que ingressarem no Brasil até setembro de 2016, medida que pode reforçar a chegada de visitantes na Olimpíada. A iniciativa deverá beneficiar especialmente viajantes dos Estados Unidos, país que, depois da Argentina, mais envia turistas ao Brasil.

Lummertz apresentou uma tabela do impacto cambial em 2015 e explicou a variação do câmbio deste ano em relação a 2014. De acordo com a variação corrigida, de setembro do ano passado para este ano, viajar para o Brasil está 54% mais barato.

Lummertz  falou ainda sobre a importância de criar formas inteligentes de promover o Brasil. “Tenho viajado muito, falado com parceiros como Sindepat, Abremar, Braztoa, para melhorar a forma de atuação e conseguirmos fazer o que o ministro mencionou anteriormente: o turismo ajudar o Brasil a crescer”, concluiu.