/Mais restritivo: o que mudou no decreto de bandeira preta do RS

Mais restritivo: o que mudou no decreto de bandeira preta do RS

Uma nova alteração dos protocolos de bandeira preta, tornou o decreto ainda mais restritivo. A medida visa diminuir ainda mais a circulação de pessoas, para baixar a quantidade de novos casos de COVID-19 e a ocupação das UTI’s que seguem há mais de uma semana acima de 100% em todo o estado.

Quem pode receber o público para atendimento presencial?

  • Farmácias, hospitais e clínicas médicas;
  • serviços funerários;
  • serviços agropecuários, veterinários e de cuidados com animais em cativeiro;
  • assistência social e atendimento à população em estado de vulnerabilidade;
  • que realizem atendimento exclusivamente na modalidade de telentrega;
  • postos de combustíveis, mas vedada, em qualquer caso, a aglomeração de pessoas nos espaços de circulação e nas suas dependências;
  • os dedicados à alimentação e à hospedagem de transportadores de cargas e de passageiros, especialmente os situados em estradas e rodovias, inclusive em zonas urbanas.
  • hotéis e similares (respeitado o teto de ocupação segundo protocolos de bandeira preta).

Quem teve o atendimento presencial proibido?

  • O novo decreto proíbe atendimento presencial a clientes mesmo em lojas que vendem produtos considerados essenciais, como livrarias, papelarias, lojas de chocolate e floriculturas, mas está permitida a venda com telentrega, sem restrição de horário.
  • Restaurantes, bares, lancherias, lanchonetes e sorveterias também devem ficar fechados. Mas podem vender produtos via telentrega, pegue e leve e drive-thru. Das 20h às 5h, somente é permitido o delivery.
  • Supermercados podem ficar abertos até 20h, atendendo até 21h os clientes que já entraram. Mas não podem vender presencialmente produtos não essenciais, que devem estar fora do alcance do público, cobertos por lona ou separados por fita.
  • Nenhuma medida anterior foi flexibilizada. Os setores de comércio de produtos não essenciais, que já estavam fechados permanecem fechados com permissão para trabalhar somente com telentrega.