Nova Iorque, um lugar para voltar sempre

 

 

Estar em Nova Iorque é mais que uma viagem, é uma presença de espírito, de vida e de renovação, é uma cidade mágica. Se você pensa que a Big Apple é assustadora, esqueça. Ela é uma cidade grande e tranquila, onde os mais diversos recantos nos remetem ao humanismo. Esta cidade se renova a cada dia. São tantas as atrações para ver e fazer na cidade que nem morando lá seria possível acompanhar. Foco é fundamental. (Foto: Rozangela Allves)

Por lá as atrações são para todos os gostos e bolsos. Eu escolhi alguns pontos que gostei muito e se você for pela primeira vez vale a pena fazer. Além dos tradicionais pontos turísticos estes quatro são imperdíveis. Comer um hot dog e pretzel de rua, visitar o MoMa e o Guggenhein, vale muito a pena! Vem comigo passear por uma das cidades mais civilizadas que já conheci.

O que visitar de graça, ou quase

Será que isso realmente é possível? Numa das cidades mais caras do mundo, é possível fazer passeios e conhecer lugares legais sem gastar nada? Sim, é possível, e sem nenhuma dificuldade. Muito diferente do que muitos pensam, a cidade oferece inúmeras opções gratuitas e basta estar atento para não perder essas oportunidades.

1- Central Park – Sempre uma boa ideia

Central Park. Foto: Rozangela Allves

Foi o primeiro local que fui. O Central Park com seus 340 hectares é um lugar de encontro muito popular entre os moradores da cidade. Com mais de 25 milhões de visitantes, esse oásis no meio da cidade foi fabricado pelo homem e é um ímã não só para turistas. Por lá passei uma tarde inteira, caminhando e me deliciando com um sol de outono. A beleza do parque é indescritível, são inúmeros jardins onde os nova iorquinos passeiam com suas bikes, seus animais de estimação e convivem em harmonia com turistas ávidos para encontrar os mais variados detalhes que o Parque oferece, como por exemplo o memorial de John Lennon. São inúmeras opções de passeios para descobrir o Central Park.

central-park-2

Memorial John Lennon. Foto: Rozangela Allves

Esta atração entra sem dúvidas na nossa lista sobre o que visitar em Nova Iorque de graça. Basta caminhar por lá para você perceber que não há restaurante refinado ou hotel de luxo que supere o simples prazer de passear pelos caminhos cercados de árvores, se deparar com pontes e ainda observar os inúmeros lagos. Outra grande vantagem é a sua mudança de paisagem. No verão, no outono, na primavera ou no inverno, você nunca encontrará o mesmo Central Park. Tive a felicidade de estar no outono, minha estação predileta, e ainda ver inúmeros esquilos, que só por eles já valeria o passeio.
2- Staten Island Ferry 

Staten Island Ferry. Foto: Divulgação

Uma das atrações mais populares é o Staten Island Ferry que faz o itinerário entre a ponta sul de Manhattan até a ilha Staten Island. Além de pertencer a lista do que é possível visitar gratuitamente, esse não é um passeio que indicamos só porque ele é gratuito, ele vale realmente a pena e te dá a oportunidade de ver Manhattan de um outro ângulo, chegar bem perto da Estátua da Liberdade e ver os mais diversos ângulos da Brooklin Bridge Park. Eu vi um lindo pôr do sol que ficará gravado para sempre na retina.
3 – Brooklyn Bridge Park

Brooklyn Bridge Park. Foto: Rozangela Allves

Essa também é uma das dicas sobre o que visitar em Nova Iorque de graça e também está na nossa lista de melhores atrações da cidade. Atravessar a ponte é um passeio delicioso. A circulação de pessoas a pé e de bicicleta é intensa, mas vale o passeio mesmo que pausadamente, pois tem várias banquinhas que vendem os mais diversos souvenirs da ponte ou de ícones do bairro, e se você der sorte verá grupos de dança de rua se apresentado por ali. Caminhe pela ponte do Brooklyn e a descubra, debaixo dela verá um lugarzinho especial nessa atração que é o Brooklyn Heights. De lá você terá uma vista impressionante da ponte do Brooklyn e também do horizonte de Manhattan. Mais uma opção para visitar em Nova Iorque, completamente gratuita.
4- New York Public Library: a biblioteca pública de Nova York

biblioteca-2

New York Public Library. Foto: Rozangela Allves

A New York Public Library é uma velha e venerável biblioteca no centro de Manhattan. Você a encontra na 42nd Street esquina 5th Avenue, diretamente ao lado do Bryant Park. Ela é um lugar cheio de obras de arte, de silêncio e tranquilidade: uma sensação impressionante, especialmente quando você vem do nível “normal” de ruído da 5th Avenue. Tudo de repente fica silencioso e calmo! Aqui você não pode deixar de apreciar a arquitetura, você também tem acesso à internet gratuita e, claro, uma infinidade de livros. Definitivamente essa atração tem que estar na lista dos lugares para visitar em Nova Iorque, sem pagar.

5- Ground Zero & World Trade Center & Westfield World Trade Center
Ground Zero já não é mais um lugar de terror, mas sim um memorial e um lugar de silêncio. Onde antigamente estavam as Torres Gêmeas do World Trade Center, hoje em dia fica o Memorial Nacional do 11 de Setembro (National 9/11 Memorial). O novo complexo do World Trade Center em volta do tributo também já está quase pronto. Acho que ele vale a pena uma visita. Cada um desses três lugares é especial em Nova Iorque (eu não quero falar no termo “atração” em respeito às vítimas dos atentados). Apesar do museu ser pago, o memorial é gratuito e pertence também a lista do que visitar em Nova Iorque, que acabou de ganhar mais um shopping center. E não é apenas mais um. Ele fica na área do WTC e dentro de uma estação de trem chamada Oculus, criada pelo arquiteto espanhol Santiago Calatrava, uma verdadeira obra de arte. É de ficar de boca aberta.

Estação Oculus. Foto: Rozangela Allves

6 – Grand Central Terminal

O Grand Central Terminal é um grande símbolo da cidade de Nova Iorque, não apenas por se uma atração gratuita, mas esta estação conta com inúmeros trens de todo o mundo e é o prédio mais visitado na cidade: à frente do Empire State Building, da Estátua da Liberdade e do Rockefeller Center. Um vasto comércio faz parte do complexo. Uma espécie de mercado público deixa qualquer um com água na boca, mas muita água mesmo! Uma pequena curiosidade: a pintura no teto está invertida. A razão: o pintor usou o mapa de cabeça pra baixo!

Grand Central Terminal. Foto: Rozangela Allves

 

7- Quinta Avenida, Times Square & muito mais

Times Square. Foto: Rozangela Allves

O centro efervescente comercial de Nova Iorque fica na Quinta Avenida e seus arredores, o movimento é intenso e as lojas da mais variadas grifes estão lá, acessíveis a todas as pessoas, basta ter recurso para sair carregados com a inúmeras possibilidades de compra. Quero destacar algumas como a Macys fundada em 1858. É considerada a maior loja do mundo e ocupa um quarteirão inteiro. A rede possui aproximadamente 800 lojas espalhadas nos estados Unidos, Porto Rico e Hawaii. Outra loja que me chamou a atenção foi a da M&M’s World, é parada obrigatória na Times Square. Quem nunca sonhou com uma megaloja de chocolates que consegue fisgar pessoas de todas as idades? Impossível passar na frente e não entrar!

A M&M’s World consegue fazer desse sonho uma realidade. Já começa pelo gigantesco telão na fachada externa, que passa filmes com os personagens e imagens hipnotizantes de milhares de chocolates M&M’s, o que torna impossível não parar e tirar uma foto. Mas não termina por aí…
Se você entrar na loja (o que é mais do que recomendado), vai ser abduzido(a) por um mundo de chocolate, com torres de M&M’s de todas as cores imagináveis, para criar combinações com os sabores e sair comendo pela Times Square sem peso na consciência.

Times Square. Foto: Rozangela Allves

A outra loja icônica de Nova Iorque e da Victoria’s Secret. É um dos lugares mais procurados pelas mulheres para fazer compras. É uma marca famosa de cosméticos, maquiagem e lingeries e tem várias lojas espalhadas por Nova Iorque e pelo mundo todo. Visitei a loja da Broadway, onde além de todos os produtos da marca, tem diversos looks dos famosos desfiles. E falando em desfile, o deste ano acontecerá no próximo dia 30 pela primeira vez em Paris, no mais que famoso Grand Palais, onde a Chanel faz seus desfiles. Está sendo muito aguardado.

8- MoMa, imperdível

Foram 6 horas e meia visitando os seis andares do Museu de Arte Moderna (Museum of Modern Art), mais conhecido como MoMA. Fundado 1929, como uma instituição educacional, atualmente é um dos mais famosos e importantes museus de arte moderna do mundo.
Visitar o MoMa é ter um dia de muito conhecimento e emoção, pois se depara com obras incríveis dos artistas mais famosos do mundo. Para citar apenas alguns: Van Gogh, Matiasse, Andy Warhol, Picasso, Klimt, Monet, Calder, e muito mais. A rica e variada coleção do MoMa constitui uma das maiores vistas panorâmicas sobre a arte moderna. Inicialmente o museu mantinha 8 pinturas e um desenho. Hoje conserva no edifício mais de 150.000 pinturas, esculturas, desenhos, modelos arquiteturais, imagens fotográficas e peças de design. Para além disso contém uma livraria e um arquivo com cerca de 305.000 livros e ficheiros de mais de 70.000 artistas.

Exposição sobre a crise dos refugiados, intitulada “Inseguranças: Traçando Deslocamento e abrigo” no MoMa. Foto: Rozangela Allves

 

Além disto tem o MoMa Design Store, onde você pode levar arte para o dia a dia da sua vida, comprando itens tão meticulosamente selecionados quanto as próprias obras do acervo. A coleção inclui objetos óbvios como reproduções de obras e livros de arte, mas vai além: oferece também uma sofisticada coleção de objetos de design, bijuterias, acessórios pessoais, móveis, lindas peças decorativas, criativos utensílios de cozinha, camisetas, presentes e muito mais. Prepare-se para passar muito tempo descobrindo coisas incríveis que vão deixar sua casa pra lá de estilosa. Será que vai caber tudo na mala? Para entrar no museu o valor é 25 dólares.

 

9 – Guggenheim, o prédio por si só se basta 

Guggenheim. Foto: Rozangela Allves

O Guggenheim é um dos edifícios mais bonitos de Nova Iorque no Upper East Side, e talvez até um dos edifícios mais bonitos do mundo. O edifício em si é razão suficiente para incluí-lo no seu “Top 5 para se fazer em Nova Iorque”. E sim, há muito o que se ver dentro do edifício também. Além da coleção permanente, o Guggenheim organiza exposições temporárias fantásticas, demonstrado o tremendo trabalho e dedicação que os curadores investem ao montar essas exposições. Muitas pessoas que visitam o Guggenheim pela primeira vez acham que é uma construção recente, futurística; ledo engano, o prédio foi construído em 1959. O responsável pelo projeto foi Frank Lloyd Wright, um dos arquitetos americanos mais famosos. Uma das coisas que tornam o edifício especial são os seus círculos; os superiores são muito mais largos que os de baixo. Isso dá um efeito esquisito, quase extraterrestre, ao prédio. Talvez seja por isso que ele foi usado no filme “MIB – Homens de Preto”.
O interior do edifício é tão especial quanto o exterior. Ao invés de andares, há uma grande espiral ascendente onde você pode pegar várias saídas e visitar as diferentes salas. A exposição do momento é de Agnes Martin, que por mais de quarenta anos criou quadros serenos compostos de grades e listras. Com uma atenção às sutilezas de linha, superfície, tom e proporção, ela variou estas formas para gerar um corpo de trabalho impressionante tanto em sua complexidade e foco. Senti em seu trabalho abstrato uma emoção inquietante com um misto de amor, felicidade, liberdade, inocência, delicadeza, e, com toda a certeza, a maior perfeição que já vi. Ao percorrer todos os pisos do Museu foi como se estivesse meditando, tamanha a paz que o trabalho dela passa…

Guggenheim. Foto: Rozangela Allves

Por lá também está a instalação do artista italiano Maurizio Cattelan que já havia anunciado sua aposentadoria, e volta do seu “auto-exílio” com um novo projeto intitulado “América”. Para este trabalho” Cattelan fez uma toalete completamente funcional, de ouro de 18 quilates.
A sua natureza participativa, na qual os espectadores são convidados a fazer uso individual e privado do acessório, permite uma experiência de intimidade sem precedentes com uma obra de arte. O banheiro de Cattelan oferece uma piscadela para os excessos do mercado de arte, mas também evoca o sonho americano de oportunidade para todos – sua utilidade em última análise nos lembra as realidades físicas inescapáveis de nossa humanidade compartilhada. Não é de graça, mas é quase, pois com 25 dólares você faz um tour incrível.

Muito mais…

Foto: Rozangela Allves

Existem inúmeras possibilidade de explorar a cidade este é só o começo de um belo passeio, regado a muitas fotografias e “uaus”… Apesar de nem todas as atrações em Nova Iorque serem gratuitas, existem muitos descontos e promoções que você pode aproveitar ao planejar a sua viagem. Uma das dicas que sugiro também, caso esteja indo pela primeira vez, é fazer os tours nos ônibus panorâmicos, que você pode descer onde desejar e voltar ao mesmo ponto de partida. Em dois dias você tem uma noção básica da cidade, e depois pode começar a caminhar para conhecer tudo que for possível.
Good trip….

Foto: Rozangela Allves

Esta matéria contou com o apoio de Avianca.

Notícias relacionadas



Deixe seu comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Melhor do Sul - Copyrıght 2014. Todos os direitos reservados.