/Pacotes temáticos são o foco da Secretaria de Turismo de Gramado para 2014

Pacotes temáticos são o foco da Secretaria de Turismo de Gramado para 2014

image

Foto: Divulgação

Rosa Helena Volk é secretária de Turismo de Gramado, desde agosto de 2011, nos recebeu de forma muito simpática, sorridente com a sua elegância que lhe é peculiar. Rosa é casada com Horst Volk que foi prefeito de Gramado e fundador da Calçados Ortopé.  Ela já atuou como jornalista na TV Difusora, (hoje Bandeirantes), na Pampa e trabalhou ao lado do ex-marido, Lupi Martins em um jornal próprio, que era focado no hipismo. Ela nos atende com paciência, clareza, e pedindo licença para assinar uma série de documentos que eram urgentes, como disse ela: “temos que colocar na rua muitos projetos”.  Muitas perguntas ficaram de fora mas o tempo foi curto, porém como disse Rosa: “Se eu te contar tudo hoje, depois você não vem me entrevistar!”.  

(Foto: Cleiton Thiele)

Me fale dos projetos de maior relevância neste período que estas à frente da Secretaria? 

Creio que o principal projeto e desafio foi colocar na rua os eventos (Natal Luz, Festival de Cinema e Festa da Colônia), que antes eram organizados por Associações, ou seja de forma privada e que da noite para o dia passaram para responsabilidade da Prefeitura. Houve um esforço tremendo da secretaria com os seus três funcionários, e mais a união de outras secretarias do município para que pudéssemos organizar estes eventos sem prejuízo para comunidade. Foi um grande desafio, foram infindáveis processos licitatórios, para que tudo saísse de forma transparente, e também é importante dizer que estes eventos não ficaram com dívidas e sim foram super ávitarios.  Fizemos destas forma os 40º e 41º Festivais de Cinema, a 23ª Festa da Colônia e o 27º Natal Luz. Este foi um divisor de águas, no meu ponto de vista aqui na Secretaria, lembrando ainda que todas as ações institucionais que cabem à Secretaria desenvolver foram feitos. 

E quanto a Criação do Conselho Municipal de Turismo? 

De fundamental relevância foram a criação do Conselho de Turismo, do Fundo de Turismo, e do Plano Municipal de Turismo, desta forma com estes três projetos, e ainda com Gramado sendo um dos 65 Destinos Indutores, passamos a ser parte do Sistema Nacional do Turismo.  E estando ali conseguimos vislumbrar vários projetos que só podem acessar sãos os municípios que tem estas obrigações prontas.  O Plano Municipal de Turismo, nós licitamos uma empresa para desenvolver e já enviamos para as entidades terem conhecimento do que foi trabalhado.

image

Rosa Helena e o Prefeito Nestor Tissot, recebem os prêmios de Melhor Cidade Turística e Melhor Destino de Inverno do Brasil da Revista Viagem e Turismo (Foto: Divulgação)

E aquela proposta de ter um banco de dados dos turistas que vem a cidade em que pé está? 

Estamos fazendo a primeira licitação com recursos do Fundo de Turismo, e com uma participação financeira da Prefeitura para contratar uma empresa de sistema de monitoramento, que vai nos dar relatórios diários com o número de visitantes, a origem, se é ou não a primeira vez que vem a Gramado, se já veio e quando foi a última vez, se é um turista assíduo, quantos dias fica na cidade.  Nós temos estimativas através dos números da Brita e queremos ver se a partir de fevereiro temos este trabalho andando. Muitas capitais tem somente os dados da Infraero, e pelo que sei nós seremos a primeira cidade brasileira a ter este sistema. 

 E a questão da legalização do transporte turístico? 

Esta é uma questão muito técnica e para isso estamos fazendo uma licitação para contratar uma empresa que fará um estudo técnico para que possamos normatizar cada rota.

Comenta-se muito que o Bustour não tem licença. É verdade?

A Brocker tem uma licença provisória de funcionamento e após entrar em vigor as normas que vão legalizar este transporte todos terão que cumprir as determinações.  E quanto ao trajeto que eles fazem na rodovia, quem dita as normas é o DAER. Pelo que eu sei, a Brocker tem um trabalho neste aspecto com a Citral.

Alguma proposição especial para este ano?

Todos os anos nos reunimos com o trade turístico, e este ano não será diferente, e nosso foco na secretaria é trabalharmos pacotes temáticos que já estão formatados. 

(Foto: Cleiton Thiele)

Quais são os pacotes? 

A ideia é para reduzir a sazonalidade do ano todo. Queremos que as agências e operadoras que vendem o nosso destino incluam os eventos no pacote. Os eventos que vamos trabalhar, são, Gramado Fantasia, Páscoa em Gramado, Festa da Colônia (foto), Festival de Cinema, Festival de Gastronomia, Natal Luz. Na questão do Natal Luz, não é o que vamos dar o principal enfoque porque ele já está consolidado como produto turístico e cultural.  Queremos que o turista frequente Gramado o ano inteiro, pois no forte do inverno e no período do final do ano estamos bem, agora nos demais meses é que temos que desenvolver este trabalho para que possamos reduzir esta questão da sazonalidade para que os empresários tenham um movimento mais equânime. Reduzindo esta questão implica em outras situações, como por exemplo, que os empresários tenham mais segurança para investir no seu negócio e em qualificar a sua equipe.

Já estão chamando os concursados aprovados para secretaria?

Sim já estamos chamando. Neste concurso temos um turismólogo e mais três pessoas que vão atuar na Central de Informações, e nos dois pórticos.  Precisávamos de mais reforços e com a chegada deles queremos um serviço bem mais qualificado. Eles irão trabalhar uniformizados, e estes uniformes foram feitos em uma parceria com a iniciativa privada com as malhas Vimage e a Black Bull. Assim vamos identificar os servidores e os turistas já podem reconhecer melhor quem são as pessoas que podem dar as informações da cidade. 

Como foi a promoção nacional em 2013 ?

Participamos de muitos eventos no ano passado. Diretamente 13, e indiretamente, através dos apoios das agências de receptivos e operadores e sempre com a nossa presença, foram muitos.

E para 2014? 

Esta indefinido, pois estamos esperando a definição do calendário da Setur-RS e da Embratur para definirmos em harmonia com eles. Estamos projetando para o dia 28 de janeiro, uma reunião com o trade, mas temos que ter estas definições, do estado e da Embratur, espero que até lá tenhamos. 

image

Rosa Helena Volk e Luiz Kraieski representaram Gramado na FIT 2013, na Argentina. (Foto: Divulgação)

E a promoção Internacional?

Ano passado participamos de 3 eventos sendo no Peru, Paraguai, Argentina e este ano já temos definido Madrid e Lisboa, que fazem parte da verba de 2013. Esta divulgação se dá através de verba que recebemos da EMBRATUR no valor de R$ 500 mil.  Dos 5 projetos pré-selecionados, somente Gramado e Vitória conseguiram esta verba.

Gramado está participando do edital de Seleção Pública de Projetos para Patrocínio em 2014? 

Sim estamos.  O projeto é focado para divulgar a cidade em Miami e Orlando, Buenos Aires, Montevidéu e Santiago.  Este trabalho de divulgação internacional é muito importante, ainda mais que agora chegam ao aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, voos diários de Montevidéu, Lima, Buenos Aires, Santiago, Lisboa e Miami.

Gramado vai a Espanha?

Sim. Vamos à Madrid (foto) e a Lisboa, sendo que teremos estande próprio e lá faremos um trabalho intenso de divulgação de workshop com jantares típicos.  O mesmo acontecerá em  Lisboa. O Festival de Turismo também vai participar deste evento conosco.  Para o workshop já temos 118 pessoas confirmadas, e o trabalho mais intenso para convida-los para o workshop se dará durante a feira de Madrid.  Lá divulgamos “Gramado: um Brasil Inesquecível”.

Quanto a Copa do Mundo. Ficou surpresa que nenhuma seleção veio para Serra? Houve algum erro estratégico? 

Não houve erro algum. Num país de distâncias continentais, seria difícil mesmo uma seleção optar para ficar por aqui conosco. Mas eu sempre disse desde o começo e tenho certeza que a serra será muito beneficiada com a Copa do Mundo, ainda mais que caíram jogos interessantes de torcidas apaixonadas pelo futebol, como é o caso da Argentina e da França. E Copa vai nos deixar um grande legado que é o fato das pessoas estarem se qualificando, isto não tem preço.  Nós, por exemplo, já temos material, em inglês, e espanhol. Além disto, o governo federal disponibilizou diversos cursos através do Pronatec. 

Gramado está pedindo uma aprovação junto ao Ministério do Turismo para  se converter 100% em acessibilidade? 

Sim. Entregamos nas mãos do Vinicius Lummertz, o secretário nacional de políticas de turismo, o projeto bem complexo que foi desenvolvido com a parceria da secretaria de governança e através dos engenheiros e arquitetos, para converter a área central, vários prédios municipais, alguns atrativos turísticos e até mesmo uma trilha especial, totalmente dentro dos conceitos da acessibilidade. No projeto avaliado em R$ 6 milhões, consta ainda um projeto especial que se chama “Na trilha do trilho”, este será, se aprovado, um trabalho de inclusão ligado aos trilhos por onde passava o trem  na antiga viação férrea, onde as pessoas poderão conviver com a natureza, praticar algum esporte ao ar livre. É algo novo e inusitado. Hoje já temos o mapa turístico da cidade em braile, um trabalho desenvolvido em parceria com a UFRGS.

image

Rosa Helena com o atual presidente da Gramadotur, Rogério Poloni (Foto: Divulgação)

E a Gramadotur?

A Gramadotur é muito importante dentro do contexto da nossa cidade e deu um passo extraordinário com a profissionalização. Eu vejo que na medida que a infraestrutura melhorar, todo o trabalho será bem melhor. O Rogério Poloni, hoje o atual presidente, fez um trabalho excelente, que continuará agora com a chegada do João Pedro Till, que está há 14 anos à frente da Secretaria da Fazenda do município e que tem todo o conhecimento da área administrativa pública, e que é uma excelente pessoa, de fácil dialogo, tem um grande poder de articulação, e fara um ótimo trabalho. Estamos muito felizes com a ida dele para lá e também é importante frisar que na Gramadotur tem a inciativa privada no seu conselho através de 6 membros das entidades. Ou seja estamos muito bem representados.