/“Revolução no Turismo” é meta da Embratur

“Revolução no Turismo” é meta da Embratur

 

O presidente da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), Vinicius Lummertz, conclamou os empresários do trade turístico a participar do esforço conjunto que as lideranças do setor público preparam para promover uma verdadeira revolução no setor. No seu entendimento, esta é a saída mais viável para o Brasil sair da crise, conforme destacou no dia 4 deste mês no painel ‘Integração das Fronteiras Potencializando a Economia Compartilhada’, que ocorreu no FESTURIS – Feira Internacional de Turismo, em Gramado (RS). (Foto: Vinicius Lummertz e painelistas no FESTURIS. Foto: Rodrigo Vieira-Panrotas/ Divulgação)

“Os problemas herdados do passado não podem ser impedimento para que não tenhamos futuro. E o futuro de nossa economia e, por consequência, da geração de empregos, não está na indústria e sim no turismo”, afirmou Lummertz. Ele acredita que esse é o momento de sensibilizar o novo governo para que apoie os pleitos que ele e o ministro do Turismo, Marx Beltrão, já apresentaram aos demais setores que definem as políticas governamentais.
Vinicius também defendeu uma reestruturação da Embratur para que a autarquia possa enfrentar os desafios com mais agilidade: “O nome Embratur permanece porque ele é muito forte. Mas precisamos ter o formato de uma agência para enfrentar a verdadeira guerra por espaços que já está estabelecida entre os países que disputam a preferência dos turistas internacionais”.
Como exemplo, Lummertz citou o Japão, que depois de ter ultrapassado a meta de registrar 20 milhões de visitantes estrangeiros no ano passado, traçou como novo alvo chegar aos 40 milhões de turistas internacionais. Também lembrou o caso da França, que depois de ver o movimento turístico despencar por conta dos ataques terroristas, prepara uma grande ofensiva publicitária para reconquistar terreno global.
“Temos que ter um orçamento mais compatível com esse novo momento”, lembrou o presidente. Lummertz disse ainda que está totalmente sintonizado com o ministro Beltrão, que na abertura da Festuris, na quinta-feira (3) à noite, comemorou a decisão do governo de conceder, por um período de dois anos, isenção de visto de entrada para norte-americanos, canadenses, chineses e australianos no Brasil.

Foto: Vinicius Lummertz/ Divulgação

O painel no FESTURIS também contou com a participação de José Roberto de Oliveira, da associação Amigos das Missões, Carlos Cesar Baltar, do consulado da Argentina no Rio Grande do Sul, Victor Hugo Alves da Silva, da secretaria de Turismo do Rio Grande do Sul, e Edmar Bull, da Abav Nacional, com mediação do jornalista Claudio Schapochnik.