/4 Perguntas para Paulo Chiele

4 Perguntas para Paulo Chiele

Paulo Chiele é gaúcho, morou mais de uma década na Europa  onde estudou Gestão e História do Luxo. É autor do Livro Luxury Branding, Construindo Marcas

de Luxo e  é CEO da PRC Consultoria em Luxo. É consultor para o mercado do Luxo, professor, palestrante e membro do GLEN ( Global Luxury Experts Network)

coordenado pelo Instituto do Luxo de New York, assim como formado em Retail Performance pelo mesmo Instituto. Há mais de 15 anos trabalhando no setor do Luxo, o qual está íntima e inevitavelmente ligado ao mundo das artes,

desenvolveu uma paixão pela pintura e pela expressão artística visual criando também uma atividade artística paralela, a ARTPRC (www.artprc.com.br). Ele nos concedeu esta entrevista sobre o mercado de luxo e seu olhar sobre Gramado.

1) O que é Luxo? Este conceito se atualizou após a pandemia? E agora que vivemos o período endêmico, como este conceito se comporta?

A definição mais adequada para o que seja luxo seria o grau mais elevado de excelência que um serviço ou produto pode alcançar. É característica do Luxo buscar a perfeição em tudo o que faz. A elevação de qualquer momento corriqueiro pode se transformar em uma experiência de Luxo se forem aplicados os conceitos deste segmento. Criatividade, Inovação e Qualidade total são pré-requisitos fundamentais do universo do Luxo.

O Luxo foi um dos setores da economia que mais se engajou durante a pandemia, fazendo doações pomposas, transformando suas fábricas em fornecedores de máscaras, álcool gel e equipamentos hospitalares.  Ele agora colhe os frutos, pois passado o período mais crítico, o Luxo volta com força total  com reconhecimento dos consumidores por estes movimentos solidários. Várias empresas do Luxo tiveram faturamentos recorde e já recuperaram muitas das perdas.

2) Até onde os impactos da pandemia geraram mudanças significativas ou aceleraram movimentos?

Também no setor do Luxo houve uma maior conscientização sobre o consumo menos ostensivo e mais focado no valor e no Luxo como investimento. Diante das incertezas os consumidores preferiram apostas naquelas empresas cujas crenças e propósitos tenham se mantido estáveis ao longo de sua jornada. O Luxo na verdade não muda, ele apenas evolui, assim como seus consumidores. A pandemia acelerou naturalmente no setor do Luxo também as vendas online. As empresas foram muito ágeis em sua transição para o digital, o que sempre foi uma relutância do setor, em vista da dificuldade de se transmitir digitalmente todo o esplendor e qualidade dos produtos.

Além disso, empresas que não possuíam uma porte penetração no e-commerce puderam associar-se a players já consagrados como Farfetch, ou Yoox Net a Porter, que tiveram crescimentos exponenciais.

3) Qual o legado desta pandemia para o consumidor atual?

A descoberta do Luxo local e do Luxo da simplicidade tiveram enorme ascenção. A valorização dos momentos de prazer e intimidade e a apreciação de talentos locais aconteceu em todo o mundo. Passou-se a valorizar muito a artesania, o feito a mão e as características de qualidade das produções locais. É possível desfrutar Luxo sem ir muito longe. O Luxo está bem mais perto do que imaginamos.

4) Pelo seu olhar Gramado é um destino de Luxo?

Com certeza. A possibilidade de você poder passar alguns dias desfrutando das inúmeras opções de lazer, gastronomia, entretenimento, compras, etc.. é sem dúvida um Luxo. Naturalmente devemos separar o que seria Luxo absoluto do Luxo chamado relativo. O Luxo absoluto é aquele que dispensa explicações ou definições. É imediatamente reconhecido pelos consumidores de qualquer camada social. Um Rolex, Uma Ferrari, Um Super Yate, etc… 

Já o Luxo chamado relativo é aquele que atende as necessidades particulares de cada indivíduo. O que é Luxo para mim, pode não ser Luxo para você. Portanto, até chegarmos no consumo de Luxo absoluto que se concentra mais em grandes metrópoles pelo mundo, temos em Gramado uma ampla escolha de níveis de consumo que atende certamente a grande maioria dos visitantes que procuram experiências de alta qualidade.

Os clientes do Luxo procuram sempre um conjunto de atividades que incluem, compras, relaxamento, gastronomia de qualidade, serviços diferenciados, entretenimento e sobretudo um escape mental do mundo tumultuado em que estamos vivendo. O Luxo existe para fazer sonhar e saber que existe um mundo melhor feito por pessoas que tenham acima de tudo, como disse Yves St. Laurent, elegância na alma.