/A cooperação no turismo

A cooperação no turismo

Há tempos não me dava conta de algo tão nobre: as pessoas querem cooperar. Você pode fazer o teste. Peça ajuda para qualquer pessoa, que a maior propensão será receber o apoio necessário. Nunca tivemos tanto apelo para a cooperação, especialmente por ser um período de restrições, mas também porque a empatia vem sendo bem exercitada.

Isso acontece comumente no âmbito pessoal, mas está sendo potencializado no âmbito profissional ou corporativo, afinal de contas, não vivemos em um silo. Ainda mais no turismo, onde precisamos estar conectados e alinhados para gerar melhor experiência e ampliar a permanência em nosso negócio, cidade e região.

E para “fazer juntos no turismo”, penso ser oportuno considerar alguns passos.

Ter estratégia e se conectar. É fundamental ter alguma estratégia, seja o negócio que for. Mas no turismo, me parece mais importante ainda, especialmente para facilitar a conexão com outros parceiros do trade, justamente com o ímpeto de somar, de multiplicar para conquistar a permanência do turista por mais tempo. É importante buscar conexão com negócios que façam sentido com o seu, que complementem sua proposta de valor. Mas além disso, é relevante se enxergar e se relacionar no ecossistema em que seu negócio está inserido. Isso significa buscar participar e contribuir com entidades, que fomentam e representam o coletivo.

Buscar entender o outro lado. A empatia é muito importante, por isso buscar saber quem são os concorrentes, ou mesmo, avaliar se podem ser grandes parceiros. Estabelecer o diálogo para encontrar relação com a estratégia do meu negócio, identificando todos os stakeholders.

Público e privado precisam se conectar. Todas as partes tem limitações e é justamente nessas limitações onde encontramos o grande potencial da coletividade, é por onde tem maior possibilidade de se conectar e com isso somar ou multiplicar forças. Mas percebo que para isso acontecer é muito importante estabelecer uma governança, alinhando bem quem deve participar, mas sem abrir mão da agilidade e celeridade nas decisões. A fórmula mágica Empreendedor + Entidade + Poder Público é sinônimo de sucesso!

Renovação e inovação. A reflexão sobre como anda a inovação do seu negócio sempre é importante, ainda mais depois de aprender que tudo pode mudar em tão pouco tempo. Muitos da sua empresa têm cabelos brancos? Você dá espaço para a diversidade? E a gurizada, está envolvida? Os “startupeiros” e jovens empreendedores estão no seu negócio ou na sua entidade? Tem muita gente boa correndo por fora, são jovens empresários, lideranças com cabeça de startup. Faz todo o sentido pensar a renovação das lideranças, a sucessão pelo bem coletivo, inclusive podemos nos inspirar por duas grandes marcas que recentemente contrataram cantores para atuar no conselho de administração.

Chega de papo e reuniões… Há um bom tempo ouço um grande amigo dizer que não faz mais reuniões, a não ser que seja para evoluir. As reuniões são fundamentais para nos conectar, mas tudo precisa ser registrado, virar ata, gerar uma comunicação fluída. Alinhar quem faz o quê, planejar e executar, apresentar resultados. Chega de papo!

Cooperação. E para finalizar, resgato o início, as pessoas querem cooperar, mas pra isso acontecer, precisamos de menos egos e vaidades, precisamos de mais humildade.

Juntos pelo turismo!

Daniel José Hillebrand é gerente de relacionamento, atua nas áreas de marketing, programas sociais, experiência e turismo na Sicredi Pioneira RS, a primeira cooperativa de crédito da América Latina. Também é coordenador do painel estratégico de turismo na Sicredi. Pai das meninas Isadora e Theodora, esposo da Caroline, é publicitário (Feevale), pós graduado em marketing (ESPM), especialista em desenvolvimento gerencial (ISE) e inovação nas organizações (FSG). Representa a cooperativa em entidades como a Diretoria de Apoio Estratégico da CIC Caxias, Câmara de Turismo do Mobi Caxias, Departamento de Turismo da Acinp, CONTUR Hortênsias, Visão Hortênsias, Inova RS, G30, Grupo de comunicação do Instituto Hélice e Casa Cooperativa de Nova Petrópolis.