/A importância dos profissionais e a prestação de serviço no turismo

A importância dos profissionais e a prestação de serviço no turismo

Em nenhum momento da história da humanidade aconteceram tantas e tão intensas transformações, sendo elas voltadas a inteligência artificial e no comportamento corporativo e das pessoas.

Saímos da pandemia para o pleno emprego.

Sendo que na nossa região, onde aumenta exponencialmente as oportunidades profissionais devido ao crescimento de inúmeros empreendimentos, principalmente na hotelaria, percebemos um gap, entre as oportunidades e a contratação dos profissionais. 

Acreditamos que os motivos são:

  • Muitos profissionais já estão recolocados no mercado de trabalho;
  • Muitos profissionais se reinventaram durante a pandemia e criaram seus próprios negócios;
  • Temos muitos profissionais de outras regiões e que muitas vezes demoram a se adaptarem ao trabalho da nossa região, onde tem que trabalhar nos finais de semana;
  • E muitos profissionais que voltaram para as suas regiões, perto de seus familiares, durante a pandemia e não retornaram.

Diante desse cenário sugerimos que as nossas empresas:

  • Invistam em treinamentos e desenvolvimento contínuo das equipes;
  • Invistam em Onboarding, Offboarding, ações de endomarketing e  demais ações de engajamento;
  • Que tenham programa de crescimento interno, oportunizando seus colaboradores a alcançarem melhores resultados financeiros;
  • Que tenhamos uma gestão participativa e que sua expertise maior seja inspirar as pessoas, pois os estudos dizem que colaboradores engajados produzem 44% e profissionais inspirados produzem 125%;
  • E que podemos ter um bom clima organizacional onde as pessoas se sintam pertencentes à cultura e aos valores da empresa;
  • E que as pessoas possam sentir no seu trabalho uma segurança psicológica, devido às mudanças que tiveram que enfrentar durante a pandemia na sua forma de trabalhar, ou seja, em alguns momentos home office, outros de forma presencial e agora de forma híbrida.

E também nossas empresas precisam contratar e ter nas suas equipes, profissionais:

  • Comprometidos e engajados com a empresa e com os seus propósitos pessoais;
  • Que busquem atualizações contínuas;
  • Que fazem uma boa entrega profissional fazendo o seu melhor com automotivação e autodeterminação;
  • Que tenham uma boa capacidade de resiliência, devido ao momento que estamos vivendo, de mudanças, de perdas e ressignificação do trabalho e da vida;
  • Que o profissional trate o seu trabalho, como o seu próprio negócio;
  • Que os profissionais tenham garra, ética e rapidez na aprendizagem, pois são as Power Skills que o mercado mais busca nos profissionais, após esse momento de pandemia.

Hoje algumas empresas criaram um setor estratégico dentro das organizações, ou seja, área de “felicidade no trabalho”, pois acreditam que os resultados alcançados nas empresas estão intimamente ligados as pessoas sentirem-se felizes no trabalho. Pois, quando as pessoas se sentem felizes no trabalho, teremos um aumento de produtividade, de vendas, maior inovação, menos faltas por motivo de doenças, menos Burnout e menos turnover.

E para finalizarmos, precisamos mudar nosso mindset e pensarmos que não podemos mais somente vender produtos e serviços no turismo ou em qualquer área, e sim, oportunizar “EXPERIÊNCIAS INCRÍVEIS AOS NOSSOS CLIENTES”. E essas transformações e mudanças são feitas pelas PESSOAS.

Dileuza Coelho Quadro – Psicóloga Clínica, Organizacional e com Licenciatura, atua como diretora da empresa TransformaRH – Gestão de Pessoas e também como tutora da Universidade UNOPAR.

Desenvolve atividades de seleção de pessoas, desenvolvimento de equipes, orientação de carreira e mentoria em Gestão de Pessoas nas organizações.

Organiza e ministra palestras como: Liderança Transformadora, Construindo Missão e Valores da Organização e Conectados por Propósitos.

Recentemente foi coautora do livro Educação e Gestão Financeira – Coisas que ninguém te conta, onde escreveu sobre como educou financeiramente sua equipe de trabalho.

Atua de forma engajada em eventos da comunidade e na organização de cinema e debates.

*Os autores dos artigos, vídeos e podcasts assumem inteira responsabilidade pelo conteúdo de sua autoria. A opinião destes não necessariamente expressa a linha editorial da Melhor do Sul.