/É hora de apostarmos no incentivo à inovação e à criatividade

É hora de apostarmos no incentivo à inovação e à criatividade

Economia criativa é o nome dado às áreas do desenvolvimento cuja verve é oriunda da cultura e da criatividade. Música, literatura, artes cênicas, artes visuais, dança, artesanato e artes plásticas são exemplos de atividades que compõem esse cenário. Entretanto, a partir delas, desenvolvem-se outras tantas áreas, como arquitetura, moda, design, propaganda, jogos digitais, tecnologias e, defendem alguns teóricos, que até a gastronomia. Sendo assim, podemos dizer que a economia criativa contempla dezenas de áreas de cadeias produtivas que usam da criatividade e das artes para desenvolver seus modelos de negócios. 

Usualmente essas duas palavras, “economia” e “criativa”, são faladas por mim no mínimo algumas dezenas de vezes ao dia. Natural, afinal de contas, que um sujeito que ocupa o cargo de Secretário da Cultura de uma das cidades mais bem faladas do país, guarde no céu da boca essas duas palavrinhas que tanto tem sido discutidas atualmente.

Não é preciso pensar muito para saber que em Gramado convivemos diariamente com a tal da economia criativa e a atrelamos, de maneira muito inteligente, a grande vocação da cidade, que, por óbvio, é o turismo. Já falei sobre isso aqui, nesse mesmo portal, e, caso você não tenha lido, sugiro que pesquise pelo título “A cultura é a base da economia de Gramado”. Na ocasião desse último artigo me comprometi com a criação de um ecossistema de desenvolvimento para o empreendedor criativo, e é sobre isso que falo agora.

O turismo de Gramado vai muito bem. A cidade tem criado milhares de empregos, a economia está pujante como há muito não esteve, empresas estão se formalizando e cada vez mais se nota que as coisas estão seguindo bom rumo. O que proponho, sendo assim, é que nos apeguemos a esse belo cenário e, a partir da própria vocação da cidade, comecemos a vislumbrar um novo momento, para que tenhamos diversificação em nossa matriz econômica e um potencial ainda maior de desenvolvimento. 

Fala-se muito de inovação, de tecnologia e da nova economia, e me parece que, de fato, Gramado precisa estar alinhada com esse processo evolutivo. O que defendo é que nos apropriemos de todos esses conceitos, mas não deixemos de lado nossa grande expertise, que está diretamente ligada à economia criativa.

Existe em Gramado uma mão de obra criativa de fazer inveja ao Brasil inteiro. Artistas, artesãos, arquitetos, dançarinos, escritores, musicistas, produtores, film makers, diretores, produtores, designers, profissionais da moda, desenvolvedores…é talento que não acaba mais. 

A proposta de um dos projetos mais audaciosos da Secretaria da Cultura de Gramado para 2022 é o desenvolvimento de um território de incubação exatamente a negócios criativos. Trata-se de um espaço de incentivo à inovação e à criatividade, partindo dessa grande vocação da cidade, cujo nome será: Vila Joaquina – Território Criativo. 

Ainda no primeiro semestre a chamada pública para participar da Vila Joaquina será divulgada para que possamos dar início a um novo momento da cidade. Mentoria gratuita, desenvolvimento de negócios, formações específicas, conhecimento compartilhado, criação de um novo ponto de convivência turística e cultural, estímulo à criatividade. Essas são algumas das premissas do local que será criado a partir das cabanas dispostas no complexo onde hoje está localizado o Centro Municipal de Cultura Arno Michaelsen. 

Fica o convite para que empreendedores da área criativa conheçam o projeto e estejam junto conosco enchendo-o de vida, afinal de contas, de nada adianta um território se ele não for feito de pessoas, de ideias e de paixões. 

Por falar em paixão, peço perdão ao leitor por ter feito desse texto uma explanação a um projeto de política pública, mas quando se escreve com paixão, as palavras fogem ao controle e tomam vida por si só, fazendo de seu interlocutor apenas o instrumento de uma mensagem maior. 

E a Vila Joaquina, com certeza, é uma mensagem maior. 

Ricardo Bertolucci Secretário de Cultura de Gramado