/Hospitalidade que vem de dentro

Hospitalidade que vem de dentro

Por muitos anos fui a gestora que selecionava profissionais para o mercado de hospitalidade e sofria com a falta de mão de obra qualificada, mas por outro lado, fiz parte do momento em que frequentemente tínhamos em mãos currículos de profissionais com formação técnica ou graduação em Hotelaria ou Turismo.

Jovens meninas e rapazes que na maioria das vezes estavam sedentos para praticar a arte do bem receber. Com o conhecimento técnico e junto a profissionais com pouca escolaridade, mas muita vontade de fazer acontecer formávamos equipes uníssonas.

Uma década depois, vemos no Brasil como um todo, o enfraquecimento dos cursos de Graduação da área de Turismo e aqui na Serra Gaúcha, um movimento preocupante de escassez de profissionais ávidos em fazer carreira na Hospitalidade.

Se o motivo é a baixa remuneração ou a demanda por trabalhar em finais de semana, já entendemos que esse profissional é fundamental para o funcionamento de nossos negócios, e se não nos bate mais à porta o especialista, qual movimento podemos fazer para preparar o iniciante?

Por menor que seja sua empresa, por menos estrutura que possua, o Treinamento é a base para o desenvolvimento. E aqui, falo de treinamento interno como primeiro passo. Processo de integração do novo colaborador, Cultura organizacional da Empresa, alinhamento de expectativas e valores e abordagem sobre hospitalidade e Prazer de Servir, mostrando a esta pessoa seu papel na “engrenagem” do negócio.

Empresas da área de Turismo e Hotelaria, que não possuem como essência a hospitalidade e o Prazer de Servir com certeza estão sofrendo dia após dia com reclamações de clientes quanto à serviço e ainda, perdendo bons colaboradores para a concorrência.

Estes valores devem ser transmitidos de dentro para fora. Falamos sobre isso no início da nossa empresa, no Instagram. De nada adianta o dono do Hotel cobrar seu recepcionista para sorrir e ser solícito com o hóspede se ele mesmo passa pelo colaborador e não o cumprimenta; se quero que minha camareira seja impecável com a limpeza do quarto, mas não dou a ela as condições de trabalho.

A palavra Hospitalidade se refere ao ato de bem receber pessoas, mas mais do que isso, tem origem na palavra philoxenia, uma combinação de duas palavras: philos, que significa “amar alguém como a um amigo ou irmão“ e xenos, que significa estrangeiro (estranho) ou imigrante (o estrangeiro residente). 

Então, está mais do que na hora de tratarmos hospitalidade em todas as dimensões e entendermos que o investimento em qualificação do colaborador é sim, do empresário, para a evolução de seu negócio e do crescimento desta grande potência que é o Turismo na Serra Gaúcha.

Elis Zilli – mãe da Maria Flor e apaixonada por pessoas e, sobretudo, sobre o que move elas a uma jornada de sucesso. Bacharel em Turismo, Especialista em Gestão de Marketing e Coach pela SBC, trabalhou na Secretaria de Turismo de Gramado e esteve por 15 anos em cargos de Gestão Estratégica no Casa Hotéis, incluindo a Gerência Geral do Grupo (Casa da Montanha, Wood, Petit Casa da Montanha e Parador Cambará do Sul).

Desde dezembro de 2020 é sócia-diretora da Flui Gestão Estratégica para Hotéis, uma empresa de consultoria com foco estratégias comerciais, soluções criativas e criação de experiências para meios de hospedagem.

Os autores dos artigos, vídeos e podcasts assumem inteira responsabilidade pelo conteúdo de sua autoria. A opinião destes não necessariamente expressa a linha editorial da Melhor do Sul.