/Prefeitura de Gramado debate estratégias de desenvolvimento

Prefeitura de Gramado debate estratégias de desenvolvimento

Buscando o planejamento da cidade no quesito de desenvolvimento sustentável e saudável para smart cities, crescimento sustentável, inovações e tecnologias e aliar estratégias para o mercado Chinês, representantes Prefeitura de Gramado estiveram reunidos com a engenheira Lourdes Cristina Printes, CEO e diretora técnica da LCP Engenharia & Construções.

“Sabemos que existem diversas oportunidades de negócios e os chineses são referência mundial em diversas verticais, especialmente quando se trata de tecnologia e inovação, sendo assim seria interessante conhecer a estratégia atual pensada ou aplicada em sua cidade e encontrar pontos de interesses mútuos para agregar valor”, disse Lourdes.

Uma das frentes lideradas pela LCP Engenharia & Construções é uma conferência de smart cities ao lado dos governos Brasileiro e Chinês, através de suas embaixadas, empresas chinesas líderes do mercado mundial, como por exemplo Huawei, BYD, Xiaomi entre outras. “Existem, diversas formas de aproximação com a inovação tecnológica da China e ajudá-los a estar um passo à frente das tendências do mercado”, explicou a CEO da empresa.

O secretário de Inovação, Desenvolvimento Econômico e Relações Institucionais, Ubiratã Luiz Alves de Oliveira – Dr. Ubiratã, fala da aproximação entre Gramado e possíveis parcerias internacionais. “Queremos ser autossustentáveis em todos os aspectos econômicos e sociais de nossa cidade. O diálogo com empresas que possuem esse viés faz com que possamos vislumbrar novos futuros”, disse.

O que são Smart Cities?

A União Europeia define as Smart Cities como sistemas de pessoas que interagem e usam energia, materiais, serviços e financiamento para estimular o desenvolvimento econômico e melhorar a qualidade de vida da população.

As Smart Cities são consideradas como inteligentes, pois utilizam a tecnologia e a infraestrutura de forma estratégica. O Cities in Motion Index, do IESE Business School na Espanha, define que o nível de inteligência de uma cidade é avaliado por 10 pontos, economia, tecnologia, governança, coesão social, meio ambiente, capital humano, planejamento urbano, administração pública e conexões internacionais.

Com o uso da tecnologia, as cidades inteligentes são capazes de otimizar o uso de recursos financeiros, aumentar a eficiência das operações urbanas, atender as necessidades econômicas, sociais e ambientais das gerações atuais e futuras.

Crédito: Asscom/Prefeitura de Gramado