/Primavera a vista e vinhos sempre a vista!

Primavera a vista e vinhos sempre a vista!

Uma das minhas estações prediletas está chegando – a Primavera – e suas flores, suas belas flores que afloram os mais diversos sentidos. Um deles é o desejo de degustar os vinhos brancos e rosés, e os tintos mais leves, uma combinação perfeita para estes dias que podemos conhecer os mais diversos rótulos. A estação pede que você se espalhe por aí, degustando e conhecendo muitos vinhos.

Como é de se imaginar, nesta estação, este estilo de vinho tem o seu protagonismo.

Costumo dizer, para quem não gosta de brancos e rosés, que cada vinho tem o seu momento certo. E agora é a hora.

Na minha opinião nenhum vinho simboliza tanto a primavera como os rosés, que surgiram na Provence, no Sul da França. Este vinho harmoniza com comidas leves, tais como saladas, legumes, carnes mais leves, peixes, e frutos do mar, e com o clima ensolarado. Aqueles “pôr  do sol” belíssimos que esta estação oferece, parecem perfeitos para este estilo de vinho. Abaixo relacionamos alguns vinhos que eu gosto.

Dicas de vinhos:

As Espumantes  brasileiras que a cada ano fica melhor, tem inúmeras e inúmeras, uma melhor que a outra, e harmonizam com os mais diversos pratos e momentos de alegria e descontração.

Vou citar algumas que já passou pelo meu paladar e está super aprovado.

Adolfo Lona

Outro dia experimentei o espumante rosé e confesso, me apaixonei. Momento único. Os espumantes Adolfo Lona são elaborados de tal forma que se tornam incomparáveis. Desde a criteriosa escolha do assemblage ou mistura dos diferentes vinhos que compõem o vinho base, até o primoroso acabamento de cada uma das garrafas, é realizado com extremo cuidado e dedicação. O vinho base deste espumante é um assemblage de vinhos provenientes de uvas tintas (blanc de noir) e brancas (blanc de blanc). A predominância é de blanc de noir, que lhe confere aromas e sabores mais marcantes e típicos.

O vinho branco é proveniente da uva Chardonnay, que aporta na mistura sua elegância e frescor. O vinho “blanc de noir” é feito com a uva Pinot Noir, origem dos excelentes espumantes da Champagne, que muito bem se adaptou no Brasil e constitui o “andaime” do sabor deste espumante que tem a cor característica que lembra “casca de cebola”, aroma frutado intenso e sabor onde a uva tinta e branca convivem harmoniosamente.

Cave Amadeu

A Família Geisse representou na linha Cave Amadeu a possibilidade de degustar um espumante de qualidade a qualquer hora. Elaborados pelo método tradicional, possuem indicação de procedência do terroir de Pinto Bandeira. Apresenta uma bela coloração cereja claro, boa formação de espuma na taça e excelente perlage. Sua intensidade aromática lembra frutas vermelhas com toque de especiarias. No paladar, uma refrescante acidez com bom volume e persistência.

Vallontano Brut Rosé

O espumante Vallontano Brut Rosé, elaborado com predominância de Chardonnay e Pinot Noir, é cheio de classe, sensualidade e elegância. A sutileza de seus aromas e a riqueza de seus sabores expressam o que há de melhor em terras brasileiras.

Pelo terceiro ano participando do Guia Descorchados, em 2018 a Vallontano recebeu destaque com esse espumante Vallontano Brut Rosé, considerado o melhor espumante Charmat do Brasil, com 91 pontos, além de figurar entre os 5 melhores Bruts brasileiros.

Dunamis Ar Rosé

Elaboradas com as uvas Chardonnay e Pinot Noir, da campanha gaúcha, apresenta uma cor rosa salmão intenso com perlage fino e persistente. Intenso e agradável, aromas frutados, apresentando morangos, cerejas e framboesas. Leve e refrescante, com corpo intenso e acidez equilibrada, apresentando grande volume com textura cremosa e boa persistência. Uma espumante literalmente sem frescura.

3b Rosé

Sou mais que encantada por esta 3B Rosé da premiadíssima enóloga Filipa Pato. 3B resulta da associação das castas Baga e Bical, uma região portuguesa com forte influência marítima, o terceiro B é da tão famosa Bairrada. Conjuga leveza e persistência com acidez mineral, cor salmão e apresenta aromas de morango e framboesa. Sabor cremoso, a bolha se dissolve-se na língua. Conjuga leveza e persistência com acidez mineral. Um detalhe curioso: parte das uvas vem de vinha com idade média de 60 anos. Simplesmente amo esta espumante, bem como a Branca 3B Blanc de Blancs.

Agora é a vez das dicas de vinhos brancos e rosés e tintos leves.

O Chan de Rosas Clássico é elaborado 100% com a uva Albariño na região da Galícia, na Espanha. Excelente escolha para se beber sozinho ou para acompanhar frutos do mar. Já o português Régia Colheita branco é mais estruturado e untuoso em boca, ideal para acompanhar peixes assados. Apresenta corpo médio, boa acidez e concentração de frutas.

Quando o assunto é vinho rosé, indicamos três rótulos que são ótimos para dias quentes e frescos, típicos da primavera. O francês Le Rosé de Floridene é elegante e saboroso, pode ser degustado sozinho ou acompanhado de pratos à base de peixes. O Monsaraz Rosé, de aromas de frutas vermelhas como framboesa, é um rótulo português que harmoniza com saladas, mariscos e sushi. A importadora Porto a Porto em parceria com a ONG Cabelegria está desenvolvendo uma campanha para que a venda deste vinho se transforme em perucas que serão doadas a mulheres e crianças  diagnosticadas com câncer. Essa instituição faz perucas e distribui gratuitamente para todo o Brasil.

Indo para os tintos, o português Tons de Duorum é ideal para acompanhar carnes vermelhas e massas com molhos encorpados, resultado dos seis meses de envelhecimento em barrica. Outra dica do Douro, em Portugal, é o Duorum Colheita. Vinho de elegância ímpar, apresenta taninos firmes e acidez equilibrada. Se a proposta é acompanhar queijos curados, a dica é o Monsaraz Reserva DOC Alentejo, de grande complexidade aromática e persistência em boca, resultado dos nove meses em barricas de carvalho.

Agora é brindar a primavera que chega para que tenhamos bons momentos, provar e deixar-se encantar por verdadeiras obras de artes.

#cheers